img-feed img-feed-email

Los cinco mejores:ATUAÇÕES MARCANTES DO CINEMA pt. 1










Por Bob D


Eeeeiiitáááááá´!!!Alô você que finalmente resolveu abandonar o maledito Orkut e acessar o maior (talvez nem tanto), o melhor (tudo depende do ponto de vista), o mais incrível(alguém vai ler isto?!)blog do UNIVERSO(será que isso quer dizer alguma coisa?)!!
O Bob Quest é o único blog do mundo que eleva as informações nele contidas a muito mais que simples pesquisas no wickpédia ou plágios de revistas norte-americanas. O Bob Quest é um blog feito por pessoas comuns, com opiniões que não se limitam a termos e informações técnicas, mas sim a passar a emoção, os sentimentos verdadeiros de simples fãs.
Este Post, "Los cinco mejores", trata de uma seleção descompromissada de cinco representantes, cinco escolhas que não retratam uma ordem de grandeza. Não estamos dizendo que ninguém é melhor, pior ou mais ou menos importante aqui. A nossa opinião, nossa seleção pessoal aqui é dada de forma a manifestar apenas um sentimento, uma opinião pessoal, onde o que menos importa na verdade é a posição em ordem numérica que os eleitos se inserem, mas sua exposição, sem para isso desmerecer itens não citados nesse Post. É isso!Have fun!!!



.
5- Uma Thurman, Kill Bill vol.1 e 2, Dir. Quentin Tarantino, EUA, 2003.
Kill Bill é com certeza um dos filmes que eu mais vi na vida e engloba a lista dos meus filmes prediletos.
Uma Thurman, que pra muitos críticos (não pra mim) não é uma grande atriz, aparece de uma forma espetacular nesse filme na, sem dúvida, maior atuação de sua careira. Mais do que simplesmente atuar bem, Uma passou por rigoroso treinamento para conseguir as performances neste filme com inúmeras cenas de ação.
Meu voto vem do fato de que nunca antes vi uma atriz(ou ator) tão compenetrado no personagem, tão atuante nas cenas de ação, com bons momentos de atuação , além disso, Uma é tão linda!!!{risos...}

4- Al Pacino, Advogado do Diabo, Dir.Taylos Hackford, EUA, 1997.
Pacino (dispensa apresentações) mostra nesse filme que nem o tempo pode fazer sumir seu talento único. Ele mostra que basta apenas um bom roteiro pra que ele torne um personagem marcado pra história do cinema, afinal quem melhor pra interpretar o diabo que "os espíritos" de Michael Corleone e Tony Montana "baixados" no mesmo corpo.


3-Wagner Moura, Tropa de Elite, Dir. José Padilha, Brasil, 2007.
Zé Pequeno (Cidade de Deus) nunca pareceu tão frouxo como quando o capitão Nascimento pronuncia suas falas no já clássico: Tropa de Elite. Wagner Moura é Jack Bauer, Rambo e John McClane num filme só. Nesse filme que é uma mistura de Nascido para matar, Dia de Treinamento e Cidade de Deus, apesar dessas influencias é tão bom e tão importante para o cinema nacional (nas suas devidas proporções) quanto esses. Além disso, Wagner é um ator maravilhoso e com esse personagem entra pra história do cinema. Pelo menos o cinema nacional.


2- Haley Joel Osment, Inteligência Artificial, Dir. Steven Spielberg, EUA, 2001.
A.I. é certamente um dos filmes mais subestimados da história, mas isso tem um motivo. Ele era esperado mais como um filme póstumo de Stanley Kubrick (co-idealizador do projeto, falecido antes do inicio das filmagens) que um filme de Spielberg.
Aí ,(sem trocadilhos!) eu lhe pergunto: Spielberg como diretor não deve dar sua visão da história no filme?Será que não era isso que Kubrick queria?Afinal por que outro motivo ele dividiria e entregaria a direção desse filme a Spielberg, ainda mais sendo ele (Kubrick) um diretor do chamado, cinema autoral.
Bem, se o filme é criticado pela visão de Spielberg, o mesmo não pode ser dito da atuação de Haley.Digo aqui que este garoto me fez chorar de pena e comoção e ao mesmo tempo sentir medo enquanto assistia o filme.Extraordinário!Tomara que ele possa superar quaisquer futuros problemas, sejam eles de ordem pessoal ou não e consiga manter-se um grande ator.


1-Heath Ledger, Batman: O Cavaleiro das Trevas, Dir. Christopher Nolan, EUA, 2008.
MEU DEUS DO CÉU!!!É só o que dá pra dizer de Ledger nesse filme. O cara é tão bom, tão bom que todos os possíveis papeis de vilões, na minha cabeça poderiam ser feitos por ele.
Esse personagem ficará eternizado para sempre na memória de milhões de pessoas.
Ele nunca morrerá. Viverá pra sempre em nossas mentes, nossos corações e principalmente em nossos pesadelos.
.

Bem, aqui termina o nosso “Los Cinco Mejores”. O espaço de comentários abaixo serve para ser comentado , portanto comente, dê opiniões, xingue, wherever!!!


► Leia mais...

Que saudades... DE COLECIONAR FIGURINHAS, JOGAR BOLA NA RUA, PIROCÓPTERO, BALAS ZUNG!













Por Bob D



Eiiiitáááááááááááááá!!!!Alô você, que mora longe, que mora perto, que esta a metros de distância e mesmo assim insiste em falar pelo MSN. Você esta no Bob Quest!!! Bem vindo a este que é um dos últimos fôlegos de livre discussão, um dos poucos que ainda dispomos. O Bob Quest é diferente dos outros blogs, justamente por ser mais que um espaço de discussão da cultura pop. Ele é um espaço de integração da cultura popular, regional. Ele tem a pretensão, não de supervalorizar a cultura pop ou a popular, mas integrá-las e promovendo a idéia de que não existe uma diferenciação de maior ou menor valor entre elas.
Este Post (que saudades...) é, assim como todos os outros no Bob Quest, um Post móvel e regular.Portanto regularmente haverão mais postagens com o titulo inicial “Que Saudades...”. Então chega de conversa e let's go!!!


Aaaah!Aaaah!Ainda lembro aqueles dias. Lembro da minha infância, minha adolescência. Como tudo mudou!Como mudou!A década de noventa foi sem dúvida uma época maravilhosa para se viver.Não havia internet , nem supercomputadores, Orkut, MSN, Twiter, jogos on-line, downloads rápidos, sejam eles de arquivos de áudio, filmes, animes, séries, nada disso, mas quer saber?!...Era legal pra Caramba!!!
Sim, sim!Não tinha esse negocio de blog também e eu não desmereço a tecnologia e o acesso que temos hoje, ao contrario eu acho maravilhosas essas comodidades que a modernidade nos trazem, mas é que eu também sou um saudosista.Um cara dos anos oitenta.Um fã de Rambo, da velha guarda (mas não sou tão velho assim!! {risos...}).
Acontece que antigamente existia de fato, uma aproximação maior com o outro, o próximo, o semelhante. Se brincava mais na rua, se interagia com o outro de forma real, não virtual.Isso é fato!
Hoje não dá pra ter certeza de que aquela pessoa que fala com você no MSN existe mesmo. Tá bom que as pessoas que a gente achar conhecer intimamente, podem não ser(e na maioria das vezes não são) o que dizem, mas o fato é que criamos uma cultura (mesmo antes da internet), que exalta a ilusão, que uma centena de quadradinhos com fotos numeradas, organizadas num espaço virtual auto-proclamados "amigos" ( Orkut,My Space, seguidores no Twiter), pode medir seu grau de popularidade, de aproximação com o outro.O que adianta ter vinte mil amigos no Orkut se eles não estão nem aí pra você , nem sabem que você existe?!
Morro de saudades daquele tempo, em que aqui na minha cidade, meu estado, chegavam álbuns de figurinhas de procedência duvidosa, em outras palavras "piratas".
Eram inicialmente feitos de um papel jornal dos mais vagabundos, amarelados, fininhos.”Era a sensação"!Sempre viam com blocos numerados pra montagem da coleção de figurinhas, com promoções a supostos prêmios, caso fossem completados, preenchidos os espaços.
Eu nunca consegui completar nada!Reza a lenda, que sempre tinham uns puta sortudos que conseguiam ganhar os prêmios, juntando figurinhas e completando os blocos do álbum. Eu particularmente não conheço nenhum deles, nem acredito que tenham existido.
Os álbuns podiam ser considerados piratas por que sempre vinham com temas populares na época entre as crianças, que iam de Xuxa a desenhos da TV, novelas, futebol e filmes, sem obviamente nenhuma autorização das produtoras destes.
Lembro ainda que isso era um negocio tão lucrativo que os álbuns eram distribuídos de graça pra incentivar as coleções.Claro, sempre tinha um puto dono de botequim ou banca de revista que cobrava pelos álbuns.
Ainda rolavam aquelas falcatruas de sempre. Sempre viam figurinha repetidas nos pacotes e a gente tinha que achar alguém que precisasse da que você tinha e que quisesse trocar por uma que você não tivesse.Sempre tinha uma ou outra figurinha que nunca aparecia.
Nessa mesma onda de álbuns de figurinhas, tenho que falar de um em especial. Na verdade não se trata realmente de um álbum e sim um pôster onde havia um espaço pra colar figurinhas.O Álbum-pôster dos cavaleiros do zodíaco das balas Zung.
Só quem viveu os anos noventa, só quem viveu a época dos cavaleiros do zodíaco, sabe da força da repopularização dos animes no Brasil, sabe do que eu estou falando. Era fantástico!Essa é a palavra: FANTÁSTICO!!
Como uma coisa tão simples como uma folha de papel couchê ornamentada por heróis japoneses, pode se tornar algum tão precioso, tão importante?!!Simples!Por que quando a gente é criança, quando a gente tem um espírito jovial, coisas simples emanam uma magia, uma força que vai além da própria simplicidade.Só as pessoas mais sensíveis(diante de um mundo machista que elimina a sensibilidade por considerá-la uma fraqueza) podem realmente sentir o que eu sentia, o que nós crianças sentíamos na época.Mesmo eu sendo uma criança humilde de um bairro periférico, mesmo não tendo uma casa enorme num bairro chique, mesmo na época não tendo assistido um único episódio dos cavaleiros do zodíaco, sendo este conhecido apenas por relatos de boca a boca , pelos meus amigos com acesso a antena parabólica, já que a manchete, único canal que transmitia o desenho, não existia como "canal aberto" em meu estado.
Era engraçado!Aqui na minha cidade, o álbum era extremamente popular, no entanto quase nenhuma das crianças que o colecionavam, tinham visto realmente o tema do álbum e mesmo assim o adoravam e falavam sempre nele, chegando a brincar, criar histórias em torno de um universo de cavaleiros do zodíaco que imaginávamos com base no que dizia quem realmente (ou não) o assistia. {risos...}. Confesso que a primeira vez que vi cavaleiros do zodíaco, eu me decepcionei muito. Na minha mente o anime era muito melhor.{risos...}.
Era costume comprar a bala, pegar a figurinha, colar no álbum e jogar a bala fora (o doce). A bala era o que menos importava, tanto que quando CDZ parou de passar, o álbum e a bala sumiram, pararam de ser fabricadas. Com razão, a bala era azeda, o gosto não era muito bom e rolava um boato entre a garotada, que ela chegava ,por sua acidez a corroer a boca{risos...}.
Aaaah!Ainda lembro que regularmente ressurgia uma das febres dos anos noventa, que era anunciada por uma chamada na TV (ao longo dos anos noventa, sempre a mesma chamada), diga-se de passagem, extremamente tosca, com direito a garoto gordinho com chapéu de aviador da segunda guerra: O pirocóptero.
O pirocóptero consistia de um pirulito comum, com o diferencial que era uma mini-hélice, que podia ser acoplada no palito que sobrava após chupar (ou jogar fora) o pirulito e ao girada essa geringonça alçava pequenos vôos.
O fato é que pra gente aquilo não era só uma merda de um brinquedinho fuleiro. Era um helicóptero de guerra americano à la Rambo.{risos...}
Obviamente o pirulito era o que menos importava. O que queríamos era o pirocóptero que sempre teimava em perdesse nos lugares mais inapropriados, como telhados ou casas alheias.
Os fabricantes espertamente sempre optavam por tirar do mercado e relançar o seu produto em períodos estratégicos, como nas férias, claro sempre anunciando a volta do seu produto com a maravilhosa propaganda: "Já chegou o pirocóptero!". E lá estava denovo o gordinho aviador. {risos...}
Jogar bola na rua hoje, tanto pelo crescimento populacional, quanto pelo crescimento do tráfego é verdadeiramente um luxo. Eu venho de uma época onde isso ainda era possível, mas que já vinha caminhando rapidamente ao seu fim.
Lembro como hoje!Juntávamos quatro pedrinhas (às vezes não tão pequenas) e fazíamos dos gools, sempre com pequenas interrupções pelo trânsito de pessoas ou veículos num asfalto não muito apropriado (lê-se: Rua com gente e carro passando mais asfalto quebrado).
Geralmente a brincadeira somente acabava quando ficávamos cansados, a bola furava ou caia na casa de algum vizinho resmungão (lê-se não consegui pular o muro pra pegar devolta), ou devido a alguma discussão sem-sentido, tipo: "Isso não vale", "você tá roubando" ou "eu sou melhor que você"!
Essa sem dúvida estava no rol das brincadeiras mais populares, afinal somos o país do futebol (será?).
Aconteciam às vezes fatos não muito atípicos. Era comuns as discussões, os embates com os vizinhos que detestavam em sua maioria a brincadeira, por ficarem incomodados, por terem seus portões atingidos e danificados, terem as telhas de suas casas quebradas,ou por serem alvejados as vezes por "bolas viajantes voadoras".No entanto o caso mais assustador que presenciei foi quando soube, em uma viagem ao interior, pelo meu primo, que o prefeito vigente naquela cidadezinha em questão, proibia que jogassem bola na rua.O que aconteceu foi que horas mais tarde após iniciarmos uma partida, o cidadão apareceu de carro, viu que jogávamos, parou e exigiu que entregássemos a bola.Isso aconteceu( repito) em pleno os anos noventa, aplaudido pelos velhinhos e velhinhas presentes. Depois dizem que existe liberdade nesse país!Bom, essa discussão fica pra próxima.
Bem amigos, por hoje é só!Espero que tenham gostado. O espaço de comentários abaixo é de vocês!Comentem, contem suas experiências, o que for!Espero vocês na próxima. Fuiiiiiiii!!!

► Leia mais...

Salada Poética

"Até morrer estarei enamorada das coisas impossíveis:”...

Motivo


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste :
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
Não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
– não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno e asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
– mais nada.
Cecília Meireles

Por Zanah Rios

Oláaaaaaaaaa! Povão de todas as tribos! Temos a grata satisfação de poder “falar” a você, que amaaaaaa poesia! e a você que está no limiar desta descoberta fantástica, convidamos a uma viagem neste trem que segue por sinuosas linhas. Pode entrar ! Fique a vontade! Não há fronteiras que limitam este trem. Sua força motriz advém do pensamento livre e corajoso daqueles, que igual você, se dispuseram a enfrentar o desafio de ir ao encontro das belas emoções inerentes a nossa humanidade.
Hoje a nossa Salada Poética, apresenta uma pérola da maravilhosa Cecilia Meireles. Possuidora de um espirito contemplativo capaz de compreender que a mensagem é maior que o mensageiro, Cecilia canta e encanta nestes versos, popularizados e difundidos pela música de Fagner (Cantor da MPB). A música em questão, abrilhanta a genialidade daquela que trazia em si a “asa ritmada”.

Caríssimos viajantes,
hoje quero aqui registrar um adendo, feito por uma boa amiga que não quis se identificar, e sendo este um espaço democrático, respeitamos e aceitamos carinhosamente, agradecidos por sua contribuição inestimável. Ele, o adendo, será postado logo após a poesia desta humilde parideira, que se arrisca nesta aventura, esperando ter você como companheiro de viajem.
Esta é nossa salada poética!
Apreciem sem moderação!



Sobre a poesia e os poetas


Surpreendo-me sempre quando dizem,
não gosto de poesias! Isso é chato! Isso é maçante!
Daí, me reporto a quem as escreve...
E percebo que são chatos!...maçantes!
Nossa!
Como se atrevem entre rimas e versos compor os retalhos que a vida lhes oferece?!
Como se atrevem?!...
Não percebem que incitam o pensamento?!
Será mesmo que acreditam que seus insistentes versos servem de lamparinas?!
Eita sujeitos maçantes!...Chatoooos!...
Não passam de fofoqueiros, linguarudos, Impertinentes!
É isto que eles são... perturbadores - da paz- alheia!
Ah! Se encontrar um poeta, não perco a oportunidade de lhes dizer:
Deixa de ser chato! Não quero saber!
Me deixe aqui em minha constância morna!
Não me provoques o pensar,
isto é doloroso!
Tua insolência pode me despertar...
me causar o danoso incentivo de perceber que eu,
sem teu poetizar,
levo uma vida chata!...
Maçante?!...
Hummmmmmmmmm!
Zanah Rios


Adendo,

Vida sem símbolos nem significados! Não me faças admitir que eu o invejo! Que não possuo a tua criatividade, a tua sagacidade para expressar sentimentos como o amor, o ódio, a paixão, o desprezo, a inveja, o vazio, o êxtase... A capacidade insana de embaraçar as coisas mais simples e desmistificar complexas invenções humanas... A coragem para emitir uma impressão - sua visão -sobre os tão insignificantes ou preciosos acontecimentos que permeiam nossa efêmera existência. Que aptidão possui para – através da sua arte, do seu dom ou mesmo cínico desprendimento – prolongar e até eternizar ...
grata por tua contribuição.
► Leia mais...

Salada Poética


Por Zanah Rios

"As palavras de amizade e conforto podem ser curtas e sucintas, mas o seu eco é infindável."

Madre Teresa de Calcutá


O fruto do silêncio é a oração;

O fruto da oração é a fé;

O fruto da fé é o amor;

O fruto do amor é o serviço;

O fruto do serviço é a paz.


É preciso que não se satisfaçam com dar dinheiro; o dinheiro não é o suficiente, porque pode encontrar-se. É das nossas mãos que os pobres precisam para serem servidos, é dos nossos corações que eles precisam para serem amados. A religião de Cristo é o amor, o contágio do amor.
Os que podem oferecer-se uma vida fácil têm sem dúvida as suas razões. Podem tê-la obtido pelo seu trabalho; só me encolerizo em face do desperdício, em face dos que deitam para o lixo o que poderia ser-nos útil. A dificuldade é que muitas vezes os ricos, ou mesmo as pessoas abastadas, não sabem verdadeiramente o que são os pobres; é por isso que podemos perdoar-lhes, porque o conhecimento só pode conduzir ao amor, e o amor ao serviço. É porque eles não os conhecem que não são senssibilizados por eles.
Tento dar aos pobres, por amor, o que os ricos podem obter com o dinheiro. É verdade, não tocaria num leproso por um milhão; mas trato dele voluntariamente por amor a Deus.

Madre Teresa de Calcutá


Oláaaaaaaaaa! Povão de todas as tribos! Temos a grata satisfação de poder “falar” a você, que amaaaaaa poesia! E a você, que adentra neste mundo repleto de imagens, só uma dica: leia, releia, relaxe e contemple.

Hoje, queremos te apresentar a poesia por excelência, expressa em atos, sim, como já disse, a poesia é movimento, ela pode ser uma rima, um verso,uma estrófe, símbolos repletos de significados, mas, num processo simbiótico, ao encarná-la a transformamos no verbo que vai ao encontro do outro. A exemplo de Teresa, que com seu comportamento irrequieto nos demonstra com sua vida, uma composição luminosa da mais bela poesia de amor incondicional. Teresa de Calcutá...Um olhar de escuta...Uma voz que incomoda e abranda...e toda ela... corpo que abraça.

Esta é nossa salada Poética!

Aprecie sem moderação!


No espirito de um poeta existe uma infinidade de almas. Contemplativo, constrói, edifica e demole, se desfaz num constante movimento de morrer e ressuscitar.


Pelos olhos de Iolanda


Descortinando meus olhos

contemplei a beleza da arte,

nos sorrisos e prantos

entalhados, esculpidos

sulcados na alma e

na face do meu semelhante,

sou tua semelhança;

que linda obra divina!

Dádivas absolutas da vida,

sonho de Deus.

Quadros etenos,

de labutas de preguiça

de desvelo de desmazelos

de amor de paixão...

desejos,

vital mola da solicitude

dos que vivem.

Sementes,

efêmeras partículas,

dispostas

composta

de humanidade

da preciosa eternidade

berço de ouro puro

receptáculo sagrado

da sagrada existência do ser.

Zanah Rios


► Leia mais...

Salada Poética

Por Zanah Rios


"Poeta, não é somente o que escreve.É aquele que sente a poesia, se extasia sensível ao achado de uma rima à autenticidade de um verso".

Cora Coralina

POEMINHA AMOROSO

Este é um poema de amor tão meigo, tão terno, tão teu...

É uma oferenda aos teus momentos de luta e de brisa e de céu...

E eu,

quero te servir a poesia numa concha azul do mar

ou numa cesta de flores do campo.

Talvez tu possas entender o meu amor.

Mas se isso não acontecer, não importa.

Já está declarado e estampado nas linhas e entrelinhas

deste pequeno poema, o verso;

o tão famoso e inesperado verso que te deixará

pasmo, surpreso, perplexo...

eu te amo, perdoa-me, eu te amo..."
Cora Coralina
.
Oláaaaaaaa! povão de todas as tribos!Sejam bem-vindos a este que é o maior!...o melhor!...o mais genial de todos os blogs! Rsrsrsrs, nós temos que e valorizar o produto né! Adoreiiiii este poema da Cora Coralina, e aqui pra eu,tu,ele e noizes, que alma liiiinda a desta mulher! fico encantada com a delicadeza de seus versos, a forma como descreve seu carinho a alguém que ao que me parece sequer sabia de sua admiração. Esperamos que você nos enriqueça acrescentando seu comentário, não fique tímido! Apareça. Esta é a nossa salada Poética! Apreciem sem moderação!


Procuro no silêncio noticias tuas...Tu que agora dormes...Deves sonhar?!...como saber?!... Eu por minha vez,não fecho os olhos...Quero ficar acordada e sonhar que resguardo teu sono tranquilo.

Dorme meu amor... e sente que um anjo sem asas vela por ti.


Primícias


Insone, ouço o canto do bem-te-vi amanhecido.
A quem ele viu que noticia tanto?
A sua amada talvez... por isto anuncia de peito aberto;
aos quatro cantos.


Onde a viu, não sei, não me contou.
Só sei que a viu...e repetiu alegre..
Bem...que...te...vi!...bem...que...te...vi!...


Pergunto se viu mais alguém...não responde.
Está preso em seu próprio encantamento...e canta.
Bem...que...te...vi!...bem...que...te...vi!...


Me distraio com seu gorjear gradual e limpo.
Ele impassível ao que sinto, insiste com sua amada.
Bem...que...te...vi!...bem...que...te...vi!...

Cessado seu anuncio...voa o livre passarinho.
Eu, imóvel, impotente... o imito... em seu cantar.
Eu...não...te..vi!...eu...não...te...vi!...eu...não...te...vi!

Zanah Rios

► Leia mais...

Salada Poética

Por Zanah Rios


Clarice Lispecto, 1977.

"a palavra é a minha quarta dimensão


...Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo.

Clarice Lispecto




Oláaaaaaaa! povão de todas as tribos!...sejam bem vindos a mais uma postagem da nossa salada
poética, que hoje evocou a sensibilidade de Clarice Linspecto. Então gostaram?!!! haverão muitos outros, porque a poesia assim como o vento sopra onde quer.

Sejam gentis, não me rotulem...não me prendam em vossos conceitos, não me postem em uma parede, sou movimento. Sigam suas próprias histórias ao sabor da poesia que nos abraça.
Affffffff! ...Saiu...Que alívio! Rsrsrsrs...
Apreciem sem moderação!



Lucidez

Instigo a alma a alimentar-se da real condição de estar.
Expurgando os fantasmas que assombram o confesso.
Desnaturalizada de ti , rumo ao êxodo,escuto o silêncio.
O sertão, terra vermelha, árida, fértil, fecunda, deslumbra-me.
Dela reservo apenas as sementes colhidas dos carinhos tantos.
Desprovida de raízes, inauguro a cidade elevada do solo.
Coerente, invisto na possibilidade do inócuo senso do dever,
Fugindo das insidias dos instintos insolentes,abrasão que queima,
Mergulho enérgica no que me é probo,isto deve bastar-me.
Grito a independência da razão, antagônica dos devaneios meus.
E liberto gentilmente a terra estimada.


Zanah Rios
► Leia mais...

SEÇÃO COLA PRONTA: Complemento ao estudo de História do Brasil

















Por Prof. Charles Andrade

Êiiiiiitáááááááááááá!Alô você que adentra no mundo maravilhoso da internet, mais especificamente neste que é o melhor blog sobre cultura pop DO UNIVERSO!!!.Um alô especial aos alunos do Colégio Petrônio Portela (que devem estar acessando este blog nesse momento). Este Post é dedicado especialmente a você que tem dúvidas na escola, quer fixar um conhecimento ou aprimorá-los. Atenção! Apesar do título da postagem, este Post não tem o objetivo de estimular a prática da cola ou facilitá-la de forma alguma. Então o que quer dizer o título COLA PRONTA?!Simplesmente quer dizer que este Post objetiva facilitar a sua compreensão dos assuntos expostos de maneira divertida e eficaz, fazendo com que a cola não seja necessária, pois a compreensão dos temas abordados torna a cola totalmente desnecessária. Então se você for pego colando, desde já deixamos claro que não nos responsabilizamos por isso e apoiamos totalmente a idéia de você tirar um belo e maravilhoso ZERO. Esperamos tambem que vocês se divirtam e fiquem a vontade pra comentar, corrigir, ampliar a discussão ou simplesmente contar experiências. O objetivo do blog é entreter e discutir. Esse como todos os outros posts do BobQuest são permanentes e circulares, ou seja, novos Posts são regularmente produzidos e estes estão sempre ligados a um mesmo título com diferentes conteúdos. As matérias são corriqueiramente expostas, assim haverá outras postagens com os títulos Cola Pronta, Por que devo..., Por isso eu colo meu ouvido no radinho e assim por diante, abordando outros temas. Esperamos que vocês voltem sempre e que acessem não somente esta, mas todas as outras postagens (é de graça{risos...}).Tchau!



O Segundo Reinado (1840-1889)
Tema: Os Imigrantes


“A coroação de D. Pedro II pôs fim ao período regencial. O novo imperador tornou-se símbolo de um Estado que na visão das elites, tinha como tarefas principais preservar a unidade política do país, manter a união das províncias e garantir a ordem social”.
COTRIM, pág.384


Olá, alunos!O tema que abordaremos será “Os imigrantes”, mas o que vem a ser esse tema?Quem eram?De onde vieram?O que isso tem de importante pra ser motivo suficiente pra eu ler isso?São perguntas essas que serão respondidas agora.
Primeiramente precisamos nos situar temporalmente. O Brasil passou no segundo reinado por uma série de profundas mudanças. Mudanças essas que refletem inclusive em nossa época. Sugiro que você olhe-se no espelho (se houver um por perto) nesse momento. Vamos tentar identificar características em você que talvez possam indicar algum parentesco com esses tais imigrantes citados aqui. Se você nota uma possível descendência alemã, talvez italiana, talvez alguma sutil semelhante com esses ou outros povos da Europa ou até com os povos da Ásia (que chegariam em grande número ao Brasil posteriormente), ou mesmo se você tem fortes traços de uma descendência negro-africana, então o assunto que abordaremos tem relevância, tem importância pra você. “Por quê?” Você deve estar se perguntando. Porque são eles (europeus, africanos e asiáticos) os atores dessa história. O estudo da história, aqui mostrado também traduz o estudo das origens. Talvez as suas origens.
A partir da primeira metade do século XIX (lembre-se que estamos falando do segundo reinado que vai de 1840 até 1889) o Brasil passa do posto de médio produtor para o de maior país exportador de café do mundo. O café que até então não era tão valorizado pelos europeus e americanos, agora havia se tornado uma bebida de forte consumo em seus países. Os produtores cafeicultores brasileiros começaram a produzir nesse momento como nunca haviam antes. Vale lembrar que o Brasil ainda tinha a sua economia baseada na mão de obra escrava, portanto éramos profundamente dependentes do escravismo. Acontece que esse crescimento das exportações gerava cada vez mais o acúmulo de riqueza para os produtores de café.
Todo o bom empresário tem como lema, “dinheiro que fica guardado é dinheiro perdido”. Essa é uma das principais perspectivas do capitalismo: O acúmulo de riquezas. Não basta ser rico é necessário ficar cada vez mais rico, pois quanto mais rico você for, melhor será sua qualidade de vida. Os produtores de café nesse momento passam a investir na modernização do cultivo e na indústria.
Agora que o Brasil produzia cada vez mais e que a modernização e as indústrias tomavam cada vez mais força na economia, tornava-se totalmente necessário o fim do uso do trabalho escravista, dando lugar a mão de obra operária.
Um número maior de produção não podia ser suprido apenas com o uso do trabalho escravo e havia uma fraqueza no consumo interno, levando o mercado brasileiro a depender muito do consumo externo. Fazia-se necessário a criação de um consumo interno. Esse motivo aliado a falta de preparo do escravo negro (diante da necessidade ao uso de novas e modernas ferramentas assim como novos métodos de produção na lavoura e na indústria) foram fortes razões ao uso de imigrantes europeus (mais experientes no ramo da indústria que já era forte realidade na Europa) e a futura abolição da escravatura, criando um amplo mercado interno e diminuindo os custos de produção e investimentos, comuns na relação entre senhor e escravos.
É certo que já havia por parte da Inglaterra (principalmente) uma forte pressão afim do fim do escravismo. A revolução industrial havia tornado-a o maior centro comercial do mundo e nesse momento de intensa produção, fazia-se necessário a esta o crescimento do mercado consumidor. Resumindo: Quanto mais países abolissem a escravidão, mais haveriam trabalhadores livres, consumidores ativos independentes dos senhores. Pressionando o fim da escravidão, a Inglaterra ajudava na criação de consumidores em potencial, que poderiam recorrer a ela, que era a nação que mais produzia através da indústria.
Chegavam à Europa, noticias de que o Brasil buscava trabalhadores para a indústria e o cultivo. Muitas famílias européias (principalmente na Alemanha e Itália) viviam nesse momento problemas diante das guerras e do desemprego. A vinda para o Brasil parecia a estes então, uma saída diante das promessas feitas pelos contratadores. Obviamente a realidade era outra.
Os imigrantes chegaram aqui com pouquíssimos pertences, afim de melhorias de vida. Trabalhavam para os latifundiários nas vastas propriedades onde podiam criar animais, fazer roças e plantar. Moravam geralmente em casas próximas umas das outras dentro das próprias fazendas. O conjunto formado por essas casas era chamado Colônia.
Havia entre os imigrantes e os proprietários um sistema de parceria onde os primeiros davam aos contratadores parte da colheita e ficavam com o restante, no entanto eram comumente enganados e explorados, levando à revoltas e o desestimulo a vinda de novos imigrantes. Os patrões os exploravam facilmente devido às diferenças culturais, e as barreiras impostas pela língua, entre outras coisas.
Surgiram entre os imigrantes às primeiras organizações operárias em busca de melhorias. A primeira foi a Imperial Associação Tipográfica Fluminense, de 1853. A primeira greve foi a dos gráficos no Rio de Janeiro em 1856.
Alguns conseguiram melhorar de vida, juntar dinheiro, comprar terras ou mudar para grandes centros urbanos onde abriam pequenas lojas ou fábricas. Mais tarde o governo do Rio Grande do Sul (situado em uma região até o momento bastante inexplorada), e Santa Catarina distribuiu terras entre eles afim da exploração dessas regiões. Desbravaram essas terras sem recursos ou condições para isso, conseguindo alguns a tornarem-se produtores.

Então e isso! Espero que tenham gostado e que voltem a visitar o nosso blog, sempre lembrando que essa não será a ultima postagem do COLA PRONTA. Logo, logo tem mais uma aula de história pra vocês, aqui no Bobquest. Vejam também os outros Posts. Garanto que vocês vão se divertir. Fuiiiiii!



Referência Bibliográfica

COTRIM, Gilberto, 1955 - História Global - Brasil e Gera l- volumeúnico/Gilberto Cotrim. – 8a. Ed.- São Paulo: Saraiva, 2005.

Fotos

http://www.projetoimigrantes.com.br/

Curiosidades

Clique para ver vídeos sobre os imigrantes do século XIX

http://www.youtube.com/watch?v=5fFcZ8IIMzU&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=xx0MoakC_3c

Clique para ver a imigração hoje
http://http//www.youtube.com/watch?v=iHrtky5zeGc&feature=related






► Leia mais...

Salada Poética

Por Zanah Rios


Olá povo de todas as tribos, sintam-se convidados fazer um mergulho de cabeça no nosso...(que rufem os tambores) mooooomennnnto poesia! Este blog está ousado,afffffffffff... Percebam que o Bob D me convidou para inaugurar uma salada poética. Vixxxxxe, que responsa! Segundo Léon Felipe: “ A distância entre um homem e a realidade é um conto”, O nosso Mário...olhaaaa!... nem quero saber o que você pensou. (risos), estou falando do Mário Quintana, lembram dele? Pois é! este carinha falou assim: “A diferença entre um poeta e um louco é que o poeta sabe que é louco... Porque a poesia é uma loucura lúcida” , querem outra dele? !!! Então lá vai...segura essa! “Eu amo o mundo! Eu detesto o mundo! Eu creio em Deus! Deus é um absurdo! Eu vou me matar! Eu quero viver! Você é louco? Não, sou poeta”. Já deu pra sentir né! Penso, se é que alguém há de acreditar que penso!!!!!!!!.rsrsrs, mas, pedindo licença aos grandes mestres da literatura,”Quem são eles”?...brincadeira!, penso que um poeta é aquele que numa “loucura lúcida” nos apresenta um mundo concreto, real, de forma inefável, sem conceitos ou formatos restritivos. Quem lê uma poesia busca o autor e acaba encontrando a si próprio. Por isto nunca me perguntem pra quem ou porque escrevi algo. E que todo mérito seja dado a você filho (a) de Poseidon, que mergulhou neste mar insano de palavras e sentimentos escritos, nascidas apenas da observação desta humilde parideira. Sejam bem vindos! Espero que apreciem sem moderação!


Gentil humanidade.

Contrario as prédicas que me apontam soberbas,
decido insigne e inflexível continuar meus passos,
não sou cativa do trato alheio...sou ledo labirinto,
límpida, não admito e nem me limito a conceitos turvos .
Sou livre.

Mergulho na força do amor que me contém,
renunciando com afinco o viver novelesco
dos ordinários que não suportam o invulgar,
Invulnerável continuo... eu sei quem sou.
Sou livre.

Isenta de um espirito desenxabido...massante,
arrebento as amarras da autopreservação , e vivo.
Sou livre.

Avalio e avanço, desdenhando a descrença do novo,
Que prevaleça a novidade e sustente o solicito.
Por que eu sou livre.

Zanah Rios

► Leia mais...

Mais que mil palavras

Êiiiiiiiitááááááááááááá´! Alô você que vem de cima, que vem de baixo, que vem andando, que vem de versales {risos...}. Bem vindo a mais um post desse que é o maior blog de todos os tempos (sem querer ser prepotente). O post a seguir trata de imagens engraçadas, imagens curiosas, imagens que te fazem pensar. Toda a semana postamos uma imagem que consideramos a imagem do mês. Você pode comentar a vontade sobre ela e também pode recomendar e mandar outras através do nosso e-mail. Vamos nos divertir? RIPA NA CHULIPA!
Por Bob D

"A Imagem do Mês"



► Leia mais...

Que saudades... DAQUELAS MANHÃS DE SÁBADO, VENDO DESENHOS NO SÁBADO ANIMADO




















Por Bob D

Êêêêêiiiiitááááááááááááá!!!! Alô você que navega pelas teias pegajosas desse mundinho virtual prezepeiro chamado internet!
Você esta acessando o maior, o mais safadinho, o mais fudelozo blog DO MUNDO!!! Bem vindo ao Bob Quest, o blog que leva você as mais relevantes discussões, trazendo conhecimento enquanto se diverte. Se você não costuma acessar o nosso blog então você precisa saber que todas as postagens do Bob Quest são circulares, ou seja, são compostas de uma frase inicial que quando junta-se a secundária forma o tema que será explorado. Esse post chama-se: Que Saudades.... Nele são discutidos aqueles momentos da nossa vida, que vira e mexe estamos recordando por terem nos proporcionado momentos de prazer e divertimento. Sendo assim o objetivo desse post é trazer à tona o saudosismo. Aqueles momentos de felicidade que passam rápido demais e infelizmente nunca voltam. Então vamos lá. LET'S GO ROCK!!!!

Ah, os anos noventa! Ainda lembro-me de acordar bem cedo (pra mim era), lá pelas oito da manhã e começar o sagrado ritual de sábado. Aquele momento que eu esperava com afinco a semana inteira. Ainda lembro-me de ficar de pé e ir correndo ligar a TV sabendo que logo eu teria cerca de quatro horas de prazer quase imensurável para uma criança. Eu ainda lembro exatamente como tudo começou. Como virei um otaku, como descobri aquele mundo mágico e maravilhoso. A TV sempre foi para mim uma válvula de escape dos problemas e mais do que isso, pra mim (e a maioria das pessoas da minha geração) ela foi um pai, uma mãe, um irmão. Não que isso seja uma coisa totalmente maravilhosa, hiper, mega boga (ê jovem nerd!), mas isso é uma conseqüência da vida nesse nosso mundinho capitalista. Somos tudo aquilo que Jim Carrey expôs em seu O Pentelho é verdade, mas isso não quer dizer que também não tenha vivido momentos felizes com minha família. Acontece que se pudesse voltar no tempo não mudaria um único momento daquelas manhãs de sábado. E digo isso porque isso não me fez nenhum mal. Ao contrario me tornou uma pessoa potencialmente feliz e certa em suas posições.
Ainda lembro-me de deitar no sofá e assistir os primeiros desenhos do chamado sábado animado . Ah, eu queria agradecer ao Silvio Santos por aqueles momentos! Era fantástico!Tudo começava com os desenhos mais antigos (e clássicos). O bom e velho pica-pau,Tom e Jerry e um ou outro menos conhecido a exemplo da família camundongo. ENTÃO COMEÇAVA A SEQUÊNCIA MÁXIMA.
"Bump, Bump... Bump é demais! Bump, Bump, Bump é demais! Porque um cara como o Bump é muito especial, que até sua maluquice é uma coisa legal!"

Quem conseguiria esquecer-se disso. A música de abertura de um dos desenhos animados mais bizarros e ao mesmo tempo mais divertidos e inesquecíveis de todos os tempos:MR BUMP.
Era um desenho amalucado de três amigos monstros: Mr. Bump, Squishy e a boneca de pano Molly, que viviam em baixo da cama de um garoto e só apareciam durante a noite pra viverem aventuras surreais dentro de um mundo imenso (pra eles) que na verdade era apenas... um quarto (risos...).
O grande diferencial de Mr. Bumpy era que ele era todo produzido em stop motion, ou seja, era feito com massa de modelar e quadro a quadro, o que dava um aspecto mais real e mais sombrio a série. Em alguns episódios eu me lembro de chegar a ter ânsia de vômito (não que isso seja super legal), pra vocês terem noção da loucura que era. O personagem malucoíde do Mr. Bumpy colocaria o Bob Esponja "no chinelo" nesse quesito, mas ai é que esta a graça do desenho. Ele vivia aventuras onde enfrentava inimigos como Destructo, um robô de brinquedo que pertencia ao menino e um grupo de bonecas que lembravam a boneca Barbie, mas sempre no final das aventuras, ele conseguia sair desses enrascadas e podia voltar ao seu lar: “O monte de lixo” e devorar seu prato preferido:Meias velhas sujas (risos...), enquanto se amigo azul Squishy voltava a sua moradia:O vaso sanitario.
A série durou 26 episodios de 1994 a 1995 com um especial de natal produzido em 1995 chamado:Twas the Night Before Bumpy, nunca chegando a passar no Brasil.
Após Mr Bump (acho) começava outro clássico eterno:Megaman.
“É a ferro e fogo... tandan dan dan:MEGAMAN! Ele é purro aço...Tandan dan dan:MEGAMAN!É a ferro e fogo...MEGAMAN!Vaiiii veeenceeeeeerrr O MAL!"
Série era exibida no SBT por volta de 1998 e é baseada no fabuloso game de Nintendo 8 bits da Capcom(nintendinho para os íntimos), também chamada de Rockman no Japão (seu lugar de origem), com continuações de sucesso que ainda são produzidas até hoje.
A graça do desenho morava exatamente no fato de que o game era muito conhecido no Brasil, então ver, não só o Megaman, mas os grandes vilões: Dr. Willy e seus robôs Protoman, Gutsman, Bubbleman, entre outros era uma experiência fantástica pra qualquer fã e mesmo quem ainda não conhecia bem o jogo, passava aí a correr atrás (como eu, por exemplo). O episodio mais marcante deu-se quando o protagonista encontrou-se com o que seria sua versão alternativa futurística:Megaman X, protagonista de uma das continuações do game original.
O que muitos não sabem é que Megaman (tanto o jogo quanto na série) foi totalmente "chupado" da clássica história de Osamu Tezuka, (criador do mangá e anime modernos) Astroboy onde, assim como Megaman, havia um robô de feições infantis humanóides que combatia o mal e foi criado por um cientista velhinho de cabelos brancos.
O SBT transmitia também um desenho americano chamado Liga de Mutantes. Ele narrava às aventuras num mundo apocalíptico fantasmagórico do personagem Ed (olhos vermelhos e óculos escuros) onde o que valia era praticar os mais variados esportes (futebol, basquete, futebol americano, vôlei) usando de violência ao extremo, mas quando eu digo ao extremo é AO EXTREMO MESMO! A série tinha um visual bem trash, que lembrava bastante os filmes de zumbi dos anos 80.Na verdade os personagens eram praticamente zumbis. Lembro inclusive de episódios em que o protagonista pra fazer uma cesta durante um jogo de basquete, arremessa a bola junto com seu membro (estou falando do braço! {risos...}) superior.
A série durou de 1994 a 1996 e era baseada num game de sucesso da Sega de nome Mutant League.
AGORA É QUE ESSA PORRA COMEÇA PRA VALER!

PAMPAMBAM BAM PAM BAM BAM PAMPAMBAM PAMPAMBAAMM!!!!

Fly, Fly, Fly
Quer a paz que o inimigo destrói
Fly, Fly, Fly
Um pouco de mago e muito de herói
Voar por terras distantes, ser um herói de verdade
Aprender a usar a magia em horas de dificuldade
Vovô sempre quis me ensinar, um dia vou ter que aprender
A lutar contra as forças do mal, isso a gente tem que saber
Defender quem precisa de ajuda, a justiça em primeiro lugar
Pois todo o herói de verdade, pelo bem sempre tem que lutar
Fly, Fly, Fly
Quer a paz que o inimigo destrói
Fly, Fly, Fly
Um pouco de mago e muito de herói
Fly, Fly, Fly
Quer a paz que o inimigo destrói
Fly, Fly, Fly
Um pouco de mago e muito de herói
PAAAMMM PAAAMM BAAAM BAAAM BAMMMM...BAMGANDAM...DAM.DAMM...

FLY, O PEQUENO QUERREIRO. Série fantástica baseada no idolatrado game da Enix (hoje Square-Enix), o RPG mais reverenciado no Japão (até mais que Final Fantasy): Dragon Quest.
De cara vou dizendo que esta série foi um marco na historia das animações que chegaram à TV brasileira, que só não foi mais alardeada devido ao horário (ê SBT!) e a concorrência de outras séries que passavam na mesma época. Este anime (série de animação japonesa) devido ao fracasso no Japão contou apenas com 46 episódios baseado num mangá (revista em quadrinhos japonesa) homônimo publicado pela famosa revista Shonen Jump.
O game contava com o caracter design do espetacular Akira Toriyama, mas conhecido no Brasil por nada menos que Dragon Ball (a gente chega lá!), mas um dos pontos fracos do desenho é que apesar da semelhança com o traço, o design não era exatamente o de Toriyama.
A história gradualmente vai nos levando a conhecer e acreditar no mundo onde vive Fly, um garoto que é encontrado e criado pelo monstro Blass, a quem chama de vovô e convive com todos os outros monstros que vivem nessa ilha, sendo ele (Fly) o único ser humano.
Uma coisa diferencia Fly dos humanos comuns: Toda vez que ele fica enfurecido, sua capacidade de luta aumenta (super saiyajin?) e um estranho sinal em forma de dragão estilizado aparece em sua testa.
A aventura continua, Fly conhece Avan (que se torna seu mestre), Pop (discípulo número um de Avan) torna-se seu companheiro de treinos e alia-se mais tarde a Maan (amiga e paixonite de Pop).
Hadler (Hitler?), antigo inimigo de Avan mais tarde o mata e assim começa a batalha contra o rei dos Demônios e seus subordinados. Não vou entrar em detalhes, pois mais tarde essa e outras séries desse post vão ganhar uma postagem só delas.
Quem puder ter o prazer de ver essa série, veja. Eu recomendo. Você não vai se arrepender. Ela não deixa a desejar em nenhum momento, e rivaliza fácil com as atuais.


TAN DAN DAN!TANGANDANGANDAN DAN DAN! TANGANDAN DAN DAN! TANGANDANGANDAN DAN DAN!ALIEN INTERNATIONAL APRESENTA: DRAGON BALL!TANGANDAAAAN!
"Vamos desvendar as esferas do dragão,
Esse é o maior mistério que já vi.
Vamos decifrar as esferas do dragão,
O monstro desconhecido que mora ali.
Vamos lá buscar as esferas do dragão,
Uma viagem no rastro do sol.
Vamos revelar as esferas do dragão,
É força pra lutar é Dragon Ball.
Tentando conquistar o azul do céu,
Trazendo na mente um sonho de caçador.
E uma grande armadilha preparar,
Numa nuvem dourada navegar.
Viver o fantástico, uma aventura,
Indo de encontro ao dragão.
Confiante nos desejos de vitória,
Certo de que nada foi em vão.
Confiante nos desejos de vitória,
certo de que nada foi em vão.

Vamos desvendar as esferas do dragão,
Esse é o maior mistério que já vi.
Vamos decifrar as esferas do dragão,
O monstro desconhecido mora ali.
Vamos lá buscar as esferas do dragão,
Uma viagem no rastro do sol.
Vamos revelar as esferas do dragão,
É força pra lutar, é Dragon Baaall. TANGANDAN DAN DAN!

Tô com os olhos cheios de lágrimas! Como falar do animê que marcou minha infância, cresceu comigo na adolecência, me divertiu na juventude e vai caminhar comigo até a velhice? Não sei como fazer pra falar dessa pérola sagrada da TV brasileira sem me emocionar, sem supervalorizá-la, sem entrar em estado de êxtase. Tanto que quando comecei esse post, já pensava nessa parte e no prazer que é falar daquilo que gostamos, daquilo que nos eleva, nos faz bem, nos diverte, nos entretém, mas mais do que isso, nos leva a crescer junto e caminha conosco pra toda a vida, seja no pensamento ou como um bem material guardado nas diversas formas de carregamento de arquivos em mídias portáteis que temos hoje (risos...). A questão é que Dragon Ball rompe a barreira do CD, DVD, VHS e toma um lugarzinho especial no meu coração pra toda a vida. Bem, mas vamos nos conter (risos...) e falar da série.
Dragon Ball pra quem não sabe (existe isso?) é uma das séries de maior sucesso no Japão e no mundo. Até hoje ela rende games, camisetas, DVDs e toda a sorte de bugigangas que podem surgir de um animê e mangá de sucesso nesse nosso mundinho capitalista.
Ele surge primeiro em mangá pela revista Shounen Jump em 1986, roteirizado e desenhado pelo Mangaká (desenhista e criador de historias em quadrinhos japonesas) Akira Toriyama, vindo do sucesso Dr. Slump da mesma revista. Com o sucesso arrebatador da revista surge então o animê na mesma época.
No Brasil é primeiramente (futuramente falaremos disso com mais detalhes) exibida pelo SBT e fica conhecido não só por ser muito bom, mas por nunca ser transmitido totalmente pela emissora de Silvio Santos, chegando somente até aproximadamente o episódio 60 com eternas reprises. Então imaginem assistir 60 episódios de algo que você gosta uma vez por semana e esperar uma conclusão que nunca chega. Eu enlouquecia toda a vez, mas apesar disso estava sempre lá. Revia quantas vezes fosse possível. Lembro que muitas vezes minha mãe dizia que eu precisava ir ao médico e eu fazia corpo mole, me remoia por dentro pra não deixar de assistir Dragon Ball e os outros desenhos, mas principalmente por conta de: DRAGON BALL. Imagina se aqueles tão esperados episódios que nunca passavam começassem e bem naquele dia eu estaria no dentista com uma broca barulhenta enfiada na minha boca sem conseguir falar direito, cuspindo numa travessa de baba, ofuscado por uma lâmpada filha da mãe. (risos...)
Bem o tão esperado episódio nunca passou, mas é certo que nunca esquecerei aqueles momentos e talvez também (eu disse também!) por esse motivo, essas inúmeras repetições, hoje Dragon Ball seja um mito, não só pra mim, mas pra todo mundo que viveu aquela época.
A história relata as aventuras do garoto Goku, que sai em busca das esferas do dragão (ao todo sete) que quando juntas realizam quaisquer desejos. Ao longo da série Goku vai conhecendo inúmeros amigos: Bulma, Yancha e Kulilin (o correto é Kulilin, mesmo!), por exemplo. Ganha uma nuvem dourada com que voa pelo céu e se aprimora nas artes marciais. Repito!Não vou entrar em detalhes, pois vai haver um post especial sobre Dragon Ball .Inclussive preparem-se, pois garanto que este será o mais completo informativo sobre Dragon Ball que já se produziu, podem ter certeza.Vai deixar qualquer publicação que vocês tenham lido no chinelo.Aguardem...
Bom agora vamos para a última parte desse post...

AN,AN,AN,AN,AN AN AN AN AAAAAANNNN! SEYA!SEYA!SEYAAAAAAA!
STREET FIGHTER II!FUIIIIIINNN!V.

Ta aí!Se você achava que tinha acabado o panteão de coisa boa no sábado pela manhã, se enganou amigo! Pra fechar com chave de ouro, o SBT ainda tinha um ás na manga.Street Fighter II Victory. Se isso não é ser uma criança abençoada, eu não sei o que é (risos...)! Depois (não falo de uma ordem cronológica perfeita. Aliás, em nunhum momento quis manter uma ordem exata ao que era transmitido na época, pois o objetivo aqui é outro) de quase meia hora de pura diversão com Dragon Ball, ainda havia fôlego pra outro animê fan-tás-ti-co( quantas vezes eu repeti essa palavra nesse post ?).
A série é baseada no mais bem sucedido game de luta da Capcom, que revolucionou o gênero e é reverenciado até hoje, com vendas assustadoras por parte de suas continuações. SFV trata-se de uma versão alternativa pra historia do game, que se passa um pouco antes do roteiro do jogo, com os protagonistas Ken, Ryu e Chun-Li na juventude. Nele você pode ver como os personagens presentes no game se conhecem como eles crescem e aprimoram seus conhecimentos sobre artes marciais, mas o que realmente torna SFV inesquecível e tão bem sucedido, não são apenas as cenas de lutas primorosas, as músicas ou a animação muito bem produzidas. Isso podemos ver em meio-mundo de séries que têm por aí. O que faz desta um sucesso é com certeza a construção dos personagens, que começam como verdadeiros bad boys arruaceiros, que vivem tentando arrumar brigas por aí, em dois jovens amigos que encontram um “por que” dentro de si, um objetivo mais nobre para lutar: Lutar por quem se ama.
A verdade é que Ryu e Ken descobrem no decorrer da série que aqueles com quem eles lutam, aqueles que eles consideravam uns "malas", em nada se diferenciavam deles. É brilhante, pois exatamente quando eles descobrem isso, que eles começam a usar a chamada fonte de energia Hadu.
Por fim a série acaba com uma luta emocionante entre Ryu e Ken contra Bison (o seu maior inimigo), libertando Chun-li de seu domínio psíquico e mais tarde com a despedida de Ryu e Ken e o início da jornada de Ryu, a fim de encontrar, não o inimigo mais forte, como é sempre repetido ao longo da série, mas de encontrar a si mesmo.

Bem amigos, enfim (ufa!) chega ao fim este post. Espero que vocês tenham se divertido em lê-lo, tanto quanto me diverti em escrevê-lo. Cabe a vocês agora comentar, corrigir eventuais erros, acrescentar informações ou contar suas próprias experienciais. Para isso existe o espaço de comentários abaixo, portanto comentem a vontade. São seus comentários que me mantém fazendo este blog, já que não é nada fácil devido ao pouco tempo que disponho. Agora tenho que começar meus trabalhos da faculdade, pois já gastei um tempo desgraçado escrevendo isso. Tchau!
► Leia mais...

Por isso colo meu ouvido no radinho




Por Bob D

Êêêêêêêiiiiiitáááááááááááááááááá!!!!!Alô você que acessa nesse momento o maior, o melhor, o mais modesto (risos...), o mais "MAIS" blog deste país e por que não DO MUNDO. Esse blog costuma estabelecer postagens com temas que indicam o assunto referente. A bola da vez é o nosso POR ISSO COLO MEU OUVIDO NO RADINHO. Ele se refere à alguelas bandas que dificilmente vão estar nos grandes veículos de comunicação, mas que valem a compra do CD,DVD, ir ao show ou mesmo fazer download, procurar no buscador, etc. Sempre indicamos uma banda por postagem, mas você também pode dar sugestões, divulgar seus trabalhos ou fazer correções. É só você comentar no final dessa postagem, tá ok? Let's Go!!!


Banda Plástico Lunar: Coleção de Viagens Espaciais(CD)www.myspace.com/plasticolunar

A Plástico Lunar é uma das maiores bandas da cena sergipana e faz um rock psicodélico com perceptível influência de Beatles, Rolling Stones e the doors.
O grande diferencial da Plástico Lunar é o maravilhoso vocal rasgado de Daniel Torres e os sons vibrantes e estridentes que Leo Airplane consegue tirar dos teclados, quase sempre mixados a frente das guitarras. Coleção de Viagens Espaciais é o primeiro CD da banda e já pode ser ouvido através do My Space (acima). Destaque para as faixas “Formato cereja” e “Boca Aberta” (esta segunda eu não consigo parar de ouvir).
Pra entender o que é a Plástico, imagine que os Beatles encontraram com os Doors, chamaram Mick Jagger pro palco e viajaram em ácido durante todo show enquanto tocavam Beach Boys.
Mas, como nem tudo são rosas...
O primeiro CD ainda não pode ser considerado uma obra prima, no entanto já revela potencial pra um próximo, se seus mentores mantiverem a qualidade e a mesma linha de composição.
A concepção do álbum em si já revela que não se trata de algo extremamente pop. Tanto que o encarte (Belíssimo por sinal) mostra que o CD é dividido em lado A e Lado B (em alusão as divisões comuns ao vinil), deixando toda a carga de músicas menos comerciais naturalmente pro lado B. Pro lado A, hits que já povoam as rádios sergipanas (as poucas que dão espaço pra esse tipo de música é claro!).
Todos sabem que no primeiro existe a vantagem de geralmente abranger composições de toda uma vida, mas me parece que podemos esperar coisa boa vindo por aí.
► Leia mais...

Porque devo...OUVIR BANDAS ÊMO ?!






Por Bob D

Êêêêêêêêêiiiiiiiiiiiiitááááááááááááááááá!!!!! Alô você que adentra a fantástica estrada da informação, mais especificamente neste que é o maior, o melhor, o mais modesto (risos...) blog do Brasil e por que não: DO MUNDO!!!!. Começa aqui a primeira postagem do nosso: POR QUE DEVO....Este post se refere ao que costumamos chamar de "coisinhas do dia à dia", ou seja aquelas coisas que vemos por aí, na TV, no ônibus, na igreja, etc. Nele discutiremos os fenômenos da cultura Pop sob um olhar descompromissado, sem pensar muito, pra resumir: No melhor "papo de boteco". O assunto de hoje é: Por que devo... OUVIR BANDAS ÊMO?!!!

Bem, vamos lá! Primeiro eu vou explicar porque eu optei por falar desse assunto. A alguns dias atrás conversava com meu amigo e parceiro de projeto musical, Durmeval Silva (o nome é estranho mesmo!!!). Discutíamos sobre os rumos que a música pop vem tomando e o atual cenário diante do atual mercado, da chegada dos "êmo" e do crescimento do mercado independente.
Após essa conversa, quando vinha no ônibus a caminho de casa comecei a pensar no assunto que leva ao título: Êmo, mas que merda é essa?!!!
Dizer que êmo é só um cara que fica no canto chorando, fazendo beiçinho, dizendo que a vida não têm sentido planejando cortar os pulsos é simplificar demais. É se perder na piada e ficar com preguiça de pensar, generalizando e sendo até preconceituoso.
Tá bom, musicalmente eu também não gosto e todos os indícios mostram que será mais uma modinha, mas aí vem a pergunta: Quem disse que música tem que ser séria?
Eu não estou dizendo que todos os trabalhos produzidos nesse mundo do difamado emotive hardcore são simplesmente produtos pop descartáveis, sem conteúdo ou que as pessoas que ouvem a chamada "música cabeça" estão "vivendo no passado".
Sou um fã da chamada música com conteúdo, o que não quer dizer que não admire muita coisa da música pop atual (êmo!êmo!êmo!êmo!... {risos!} ).
Aí você se pergunta:O que esse cara quer dizer com isso afinal?.O que quero dizer é que todo mundo adora atirar pedras nesse ramo do mercado fonográfico, mas ele não se difere em nada dos cabeçudos da música pensante.
Quando Chico, Caetano e Gil faziam a sua cultuada música, quando eram o centro das atenções, eles viviam uma época conturbada onde suas vozes eram uma das poucas formas de comunicar o que acontecia todo o dia nas ruas do país, onde um governo ditador reprimia abertamente a população.
Hoje vivemos a era da globalização, a era da MTV, da internet. Hoje grande parcela da juventude não sabe o que acontece nos seus governos ou não liga. Tá bom, é verdade que isso tem mudado, mas ainda está longe de alcançar a maioria dos jovens.
O fato é que a música é uma forma de entretenimento como qualquer outra e como qualquer forma de entretenimento seu objetivo é entreter. Então não deve existir mais música do outro tipo?Claro que deve existir, mas não se deve achar que com isso o artista esta dando uma profunda contribuição para mudar o mundo e o resto do mercado é um traidor da verdadeira música.
Muitas vezes os êmo com sua música pop açucarada têm sido muito mais verdadeiros em seus ideais e objetivos, que muitos dos cabeções da música pensante, que na verdade estão lá enchendo seus bolsos de grana, enquanto fingem que lutam de alguma forma, por mudanças profundas no mundo. Eles é que deviam ser chamados de "traidores do rock", se é que "ser do rock" quer dizer alguma coisa.
Esse valor que dão a palavra em si (rock) está acima do que ela realmente quer dizer. Muitos tratam e escolhem vestir a roupagem de roqueiros quase como se formassem um verdadeiro clã da camisa preta ao sol de meio-dia (risos...).
O que vemos hoje é o equivalente as tendências do rock com veia romântica dos anos 50, 60,70. Ou até ao heavy metal farofa dos anos 80. Na verdade a música pop sempre centrou-se no romantismo, o que não é nada surpreendente quando lembramos que as paixões e os interesses românticos sempre moveram a raça humana. É o nosso “crescei-vos e multiplicai-vos”.
Então concluindo, antes de você arremessar pedras nos seus amigos de franjinha, lembre-se que você não esta de nenhuma forma defendendo sua orda roqueira desses "traidores fingidos de roqueiros". Você só está se equiparando (nas devidas proporções) aos repressores, aos ditadores, que elevavam seu pensamento a ordem de "coisas certas" sem levar em conta a opinião alheia.
Por fim: Curta você o estilo musical que desejar, sem se deixar influenciar totalmente, ouvindo sempre o que gosta, mas pra isso tenha em mente que você não precisa reprimir quem pense diferente. Aquele êmo no canto pode ser um cara legal, pode se tornar um bom amigo, independente de gostar das mesmas coisas que você.
Agora cabe a você comentar o que achou da postagem?Qual sua opnião sobre o assunto?O espaço de comentários abaixo é seu.Use como bem entender.


Aí, pra voçês se divertirem, é só copiar e colar na barra de localizações: http://www.youtube.com/watch?v=OATq8YrIz-c




► Leia mais...

BOB QUEST

Eiiiiiiiiiiiiiiiitttttáááááááááááááá!!!!!!!!!!!!!!!!!Olá vocês!!!Começa aqui o blog que vai mudar sua forma de pensar, agir, falar, se portar com a namorada.


Essa é a primera postagem que faço e se voçê esta lendo isso pela primeira vez saiba que voçê acaba de entrar no maior, melhor e mais modesto (risos...) blog do Brasil e por que não da América Latina e por que não do mundo.


Aqui vamos falar, debater desde os fênomenos da cultura pop até coisas trivais que vemos no dia a dia, quando saimos da escola, da faculdade, da academia, da igreja (por que não?!), da fila do banco, da mesa de RPG. Então se voçê ainda esta aí (risos...) prepare-se para entrar no maravilhoso mundo dooooooooooo: BOB QUEST!!!!(aplausos...).


Bob D


► Leia mais...

Wellcome... Well num come ninguém não!!!

Bem vindo ao seu espaço de discussão sobre Cultura Pop, o BobQuest! O BobQuest é um blog diferenciado. Somente nele voçê pode ser voz ativa e voz ouvida. Nele discutimos desde as principais mazelas da Cultura Pop (nossa especialidade) até assuntos do dia a dia, o que popularmente é definido como "papo de buteco". Divirta-se e fique livre para xingar, comentar e usar da sua liberdade democrática, pois aqui é um dos poucos lugares onde esta será amplamente respeitada.
A Direção

Quem somos noizes?!!!

Somos apenas "caras comuns" que querem ser voz ativa e voz ouvida. A internet é a única ferramenta que dispomos pra dizer o que queremos, quando queremos. Ela é o último veículo de comunicação cem por cento democrático. É o único meio de explanação de pensamentos livres de repressão por parte dos poderes, por isso nós aqui a utilizaremos da forma mais livre e sucinta para adentrar e discutir desde as tendências do mundo pop a quaisquer outros assuntos, independente de influências externas ou internas. Aqui você terá liberdade de falar o que bem quiser... enquanto for possível.

Pra entender o que eu tô dizendo

Siga-nos no Twitter

    follow me on Twitter
    Ocorreu um erro neste gadget

    Nossa Trupe

     
    ▲ TOPO ▲